Asfalto de Qualidade

Asfalto de Qualidade

sábado, 21 de dezembro de 2013

Rolos para asfalto: qual a sequência correta?


Em obras de pavimentação é comum que surjam dúvidas sobre a sequência de passagem dos rolos compactadores depois da pavimentadora aplicar o asfalto: primeiramente devemos passar o rolo duplo liso vibratório ou o rolo de pneus? Quantos rolos são necessários para atingir a compactação total?
Resposta: depende. Há recomendações técnicas para certas situações, porém não há uma regra definida.
Basicamente, precisamos conhecer qual é a mistura asfáltica a ser aplicada e também as características dos rolos de compactação asfáltica. Estes estão divididos em três grupos:
1.     Rolo duplo liso vibratório:

Chamado também de rolo tandem ou “chapa-chapa”, pode ser utilizado em todos os tipos de misturas asfálticas. Forças dinâmicas geradas pela vibração somadas ao próprio peso aumentam a capacidade de compactação. Dependendo da condição da mistura ou se a camada tem baixíssima espessura, deve ser passado em modo estático. Um exemplo de mistura com incapacidade de absorver a vibração é a areia asfáltica, utilizada em algumas regiões onde há carência de agregados minerais.
As forças dinâmicas são geradas pela ação de um peso excêntrico que gira em alta velocidade no eixo interno do cilindro, fazendo com que o mesmo faça movimentos de subida e descida em alta velocidade. A altura com que o cilindro sobe é a amplitude de vibração, medida em milímetros. O número de vezes com que o cilindro golpeia a camada por segundo é a frequência de vibração, medida em Hertz. A característica de um rolo de compactação asfáltica é que a amplitude é baixa (máximo 0,6 mm em média) e que a frequência é maior do que em relação a rolos single-drum para compactação de solos.
As forças geradas pela vibração otimizam a compactação, pois as ondas de choque geram vibrações que ajudam a reduzir os atritos internos entre as partículas de modo a facilitar o rearranjo e encaixe dos materiais. Com a drástica redução dos atritos entre as partículas que “emperram” o preenchimento dos vazios internos, a compactação é otimizada.
 
2.     Rolo estático de pneus:
 
A compactação é obtida pela ação do próprio peso. A função dos pneus de borracha é selar, desempenar e dar o acabamento final a superfícies de misturas asfálticas contínuas. Seu uso não é obrigatório para outros tipos de misturas, tais como as descontínuas ou as que necessitam de maior rugosidade superficial.
A compactação é alcançada pela ação do peso do equipamento juntamente com a pressão dos pneus. Primeiramente, o ideal é que o rolo seja de número par de pneus. Isto para que ocorra a distribuição igual de peso em cada eixo, com os pneus na pressão intermediária para que haja 100% de contato com o asfalto.
 
3.    Rolos combinados:
 

São rolos que combinam a compactação dinâmica vibratória com a compactação estática. O cilindro vibratório é localizado no eixo dianteiro e pneus lisos são posicionados no eixo traseiro.
É um modelo interessante de ser utilizado em pequenos reparos rodoviários, operações tapa-buraco, e outros tipos de pequenas aplicações tais como ciclovias, estacionamentos, ruas de baixo tráfego e pequenos acessos. Também apresenta boa performance na compactação em aclives.
Este tipo de rolo compactador não deve ser utilizado em obras de maior porte onde o correto é alternar o rolo liso tandem com o rolo de pneus. Ao contrário de um rolo de pneus, com sobreposição entre os pneus dianteiros e traseiros que garante o total recobrimento na largura de compactação, o rolo combinado exige com que as passadas sejam realizadas de forma cuidadosa para evitar que haja partes descobertas sem a passagem dos pneus.
Em obras de pavimentação pelo Brasil é muito comum passar o rolo de pneus primeiro e na sequência finalizar com o rolo chapa liso. A alegação é que o rolo de pneus é mais pesado (por isto é passado primeiro) e o rolo chapa serve para apagar as marcas que os pneus deixam no asfalto quente. 
Esta alegação é um duplo engano. O rolo de pneus realmente deixa marcas no asfalto quando o mesmo está em alta temperatura. Porém os rolos pneumáticos possuem sobreposição entre os eixos dianteiro e traseiro, o que garante cobrimento em 100% da largura de compactação. Com isto, praticamente eliminam as marcas no pavimento.  
Em relação ao argumento do maior peso dos rolos pneumáticos, há desconhecimento sobre a compactação vibratória exercida pelos rolos duplo tandem liso. Mesmo que o modelo de pneus seja mais pesado, a compactação efetiva é executada pelas forças dinâmicas já descritas anteriormente.
Para que haja qualidade final na compactação, é preciso observar bem a todos os detalhes descritos. Importante utilizar termômetro para controlar a temperatura da mistura asfáltica e jamais compactar com vibração abaixo de 100°C.  Seguir as instruções de sequência de rolagem também assegura a ótima execução da compactação asfáltica.