Asfalto de Qualidade

Asfalto de Qualidade

sábado, 30 de março de 2013

Compactação Asfáltica


Uma pavimentação asfáltica de qualidade envolve em seu processo cuidados específicos com diversos fatores, tais como o tipo da mistura asfáltica, a curva de distribuição dos agregados, as condições climáticas durante a execução, entre outros. As etapas com maior suscetibilidade de erros são as execuções da pavimentação, pela operação da vibroacabadora de asfalto, e da compactação asfáltica, pela operação dos rolos compactadores. Neste tópico abordaremos a última etapa, que é a mais negligenciada e que pode comprometer todas as etapas anteriores mesmo que elas tenham sido bem executadas.
A compactação do concreto asfáltico é iniciada pela própria vibroacabadora de asfalto, que já pré-compacta o material através do sistema de placas vibratórias aquecidas. Os modelos de maior porte possuem também o tamper, que é um dispositivo de subida e descida a frente das placas vibratórias para auxiliar a pavimentadora no trabalho de pré-compactação e nivelamento do material asfáltico.
No entanto, são os rolos compactadores que possuem a atribuição de compactar a camada pavimentada. Alguns procedimentos básicos na operação precisam ser seguidos:
1)     Faixas de Compactação do Rolo:
A largura do cilindro do rolo compactador é inferior a largura de pavimentação da vibroacabadora de asfalto. Portanto, é necessário compactar em diferentes faixas. A execução deve ocorrer da seguinte forma:
·        Deve existir uma sobreposição entre as faixas de compactação, de 15 a 20 cm, evitando que haja partes não compactadas; 
·        Antes de mudar de direção, o cilindro deve ser levemente inclinado em relação à faixa compactada; 
·        As mudanças de faixas SEMPRE devem ser feitas na parte mais FRIA do asfalto. Ou seja, distante da vibroacabadora.
 
2)     Compactação em pavimentação sem contenção lateral:
Quando não há contenção lateral, tais como meio-fio de calçadas, o processo deve ser executado da seguinte forma:
·       A primeira passada de compactação (faixa número 1) deve ser iniciada a uma distância de aproximadamente 20 cm da lateral. Se a compactação for executada inicialmente junto a borda, ocorre o desalinhamento da mesma;
·       Nas faixas 2 e 3 a compactação é realizada de forma que cada faixa compactada tenha a sobreposição padrão (15 a 20 cm) uma em relação à outra;
·       Por fim, as duas pequenas faixas nas extremidades são compactadas (faixas 4 e 5).
 
3)     Compactação em pavimentação com contenções laterais:
Ocorre quando a pavimentação é executada entre calçadas e outras formas de contenção lateral.
 
A forma de executar é mais simples. A primeira passada do rolo (faixa 1) inicia na borda, junto à contenção lateral. O restante é compactado em faixas laterais sobrepostas até chegar à outra lateral.
 
4)     Compactação em pavimentação de faixas quente/fria:
A maioria das aplicações no Brasil se enquadra nesta classificação. A cultura de não utilizar pavimentadoras de maior porte faz com que seja necessário executar a pavimentação asfáltica em duas ou mais passadas. Isto ocorre quando a largura de pavimentação da máquina é inferior à largura da via.
 
 
Executadas em momentos diferentes, a primeira camada já estará resfriada no momento em que for aplicada a segunda. Portanto, alguns cuidados precisam ser seguidos:
·        A primeira passada (faixa 1) deve ser executada com 80% da largura do cilindro sobre a camada fria, e no máximo 20 cm sobre a camada quente; 
·        A segunda passada (faixa 2) deve ser executada com metade do cilindro sobre a camada fria e metade sobre o asfalto quente; 
·        IMPORTANTE: quando o cilindro estiver em contato com a camada fria (faixas 1 e 2), não deve ser utilizado o modo vibratório. O rolo deve operar nessas duas primeiras faixas em modo estático, pois a ação vibratória danifica a camada resfriada e também o próprio cilindro do equipamento; 
·        Na sequência, o rolo deve ser posicionado até a extremidade oposta (faixa 3) e respectivamente se deslocar até o centro (faixas 4 e 5).
 
5)     Compactação em pavimentação dupla:
Embora não seja comum no Brasil, este processo é utilizado largamente em países europeus onde se busca maior velocidade de execução das obras.
 


Quando duas vibroacabadoras de asfalto trabalham lado a lado e considerando que haja contenções laterais, a execução deve ocorrer da seguinte forma:
·        Iniciar a compactação pelas bordas, junto às contenções (faixa 1);
·        Os rolos são posicionados em uma nova faixa, em direção ao centro da pavimentação (faixas 2), obedecendo a sobreposição padrão de 15 a 20 cm;
·        Por fim, a última faixa (3) é compactada ao centro.
 
Além das recomendações mostradas, é preciso seguir mais alguns procedimentos básicos para uma ótima execução da compactação asfáltica:

·        Compactar sempre o mais próximo da vibroacabadora, desde que a temperatura do material não esteja acima de 145 °C;
·        Desligar a vibração antes de mudar de direção ou de parar o rolo;
·        Manobras sempre com movimentos suaves;
·        Ida e volta sempre pela mesma faixa, em linha reta;
·        Verificar o sistema de espargimento de água e os raspadores, para evitar a aderência de material asfáltico no cilindro do rolo;
·        Nunca deixar o rolo parado sobre o asfalto quente.

 
 
 

segunda-feira, 4 de março de 2013

Brazil Road Expo 2013



O grupo Wirtgen estará presente na Brazil Road Expo 2013, entre os dias 19 e 21 de março em São Paulo. O estande terá 460 m² e contará com nove equipamentos expostos: uma usina de asfalto, uma pavimentadora de asfalto de pequeno porte, uma fresadora de asfalto, uma recicladora e cinco modelos de rolos compactadores.
De equipamentos para pavimentação asfáltica, será apresentada a usina de asfalto modelo UACF Inova 1200 P1, da nova geração de usinas móveis da Ciber. O equipamento produz até 120 toneladas por hora, é de chassi único e apresenta uma série de avanços tais como maior área dedicada para secagem de agregados, área dedicada para mistura a seco antes da adição do CAP, utilização de material fresado (RAP) e monitoramento remoto, entre outros. Também estará em exposição o modelo de vibroacabadora de pequeno porte Vögele Super 700. Destinada a pequenas pavimentações, possui largura de pavimentação de 0,5 m até 3,2 metros com 15 centímetros de espessura máxima.
Da linha de equipamentos para manutenção e recuperação asfáltica serão apresentados os modelos W 100 de fresadora de asfalto, de fabricação nacional, e a novíssima WR 240, lançamento recente da Wirtgen em máquinas recicladoras e estabilizadoras, que traz uma série de avanços tecnológicos que garantem uma fácil operação, qualidade total na homogeneização do material e adaptação a diferentes tipos de solos e terrenos.
Da linha de rolos compactadores da Hamm, empresa do grupo Wirtgen que se dedica exclusivamente a fabricação e desenvolvimento de tecnologias de compactação, serão expostos os modelos 3411P e 3307 para terraplenagem. Estes compactadores, respectivamente de 11 e 7 toneladas, apresentam tração de fábrica, dupla frequência e amplitude de vibração para alta eficiência de compactação em solos coesivos e granulares, além do ponto triplo de articulação que garante amortecimento de choques, distribuição igual de peso no eixo traseiro, estabilidade direcional e segurança contra tombamento.
Já na linha para compactação asfáltica, serão apresentados três modelos: o rolo de duplo cilindro tandem vibratório HD 75, de 7.500 kg de peso operacional, e o rolo combinado HD 14 VT, de 4 toneladas, cilindro vibratório dianteiro e pneus no eixo traseiro. Estará em exposição também o modelo de pneus GRW 280, o mais moderno e com design mais arrojado da categoria com sistema de controle de pressão dos pneus, fácil lastreamento e dotado de oito pneus, garantindo igual distribuição de peso sobre o material asfáltico.
 
 
Na manhã do dia 21/3 faremos palestras técnicas sobre tecnologias de pavimentação. Meu colega Marcelo Zubaran, um dos maiores especialistas em usinas de asfalto e produção de misturas asfálticas do país, apresentará a palestra “Produção de Misturas Asfálticas Sustentáveis”. Zubaran participou ativamente no desenvolvimento da tecnologia de utilização de material fresado em misturas asfálticas a quente e na aplicação de asfalto morno espumado (Warm Mix Asphalt) em usinas de asfalto fabricadas no Brasil, os quais serão abordados em sua palestra. Estas aplicações já foram utilizadas em obras experimentais no Brasil, cumprindo todos os parâmetros técnicos e de qualidade exigidos. A utilização de material fresado em usinas já foi postado aqui no Blog.
Na sequência, eu abordarei dois temas. O primeiro será “Pavimentação e Compactação Asfáltica”, ressaltando as premissas básicas e os cuidados necessários para uma correta aplicação do material asfáltico na pista. Muitos defeitos nos pavimentos são originados pela má aplicação do concreto asfáltico pela vibroacabadora (pavimentadora) e por erros básicos na passagem dos rolos compactadores de asfalto. Uma série de procedimentos básicos e pequenos cuidados na operação dos equipamentos garantem uma pavimentação de qualidade.

 
A última palestra terá o tema “Métodos de Reciclagem de Asfalto”, abordando as tecnologias desenvolvidas pelo grupo Wirtgen para reciclagem a frio e a quente que hoje são largamente utilizadas em todo o mundo. Em reciclagem a frio, o uso das recicladoras em recuperação estrutural de pavimentos asfálticos, podendo aplicar cal, cimento ou espuma de asfalto. Também há a opção de uma usina de reciclagem a frio, quando houver grandes quantidades de material fresado e de materiais provenientes da demolição da construção civil (RCD), para a produção de camadas de ligação (binder) em pavimentos. Já em reciclagem a quente se utiliza material fresado (RAP) em usinas de asfalto. Todos os métodos de reciclagem garantem rapidez de execução e redução de custos da obra, além de ser ecologicamente correto ao dar uma boa finalidade para materiais que acabariam sendo descartados.
Compareçam a Brazil Road Expo para bater um papo com a gente!